Agora deu: Alemanha embarga exportação de tanques do Brasil

A Alemanha impôs embargo na exportação de 28 veículos blindados Guarani do Brasil para as Filipinas. O escritório governamental de controle de exportação da Alemanha se valeu do fato de o Guarani ter peças e sistemas de origem alemã. Os veículos blindados são produzidos na fábrica da Iveco em Sete Lagoas, Minas Gerais, e são…

A Alemanha impôs embargo na exportação de 28 veículos blindados Guarani do Brasil para as Filipinas. O escritório governamental de controle de exportação da Alemanha se valeu do fato de o Guarani ter peças e sistemas de origem alemã.

Os veículos blindados são produzidos na fábrica da Iveco em Sete Lagoas, Minas Gerais, e são altamente conceituados no mercado internacional de defesa. A decisão do governo alemão afetará significativamente a indústria de defesa brasileira e suas exportações.

De acordo com a revista Veja, que fez a denúncia, uma fonte do Ministério da Defesa, que pediu para permanecer anônima, afirmou que o embargo é resultado direto da recusa do governo brasileiro em fornecer munições e equipamentos militares à Ucrânia em seu conflito com a Rússia.

A recusa do governo brasileiro em fornecer ajuda à Ucrânia se baseia numa longa trajetória diplomática de desestímulo a conflitos armados. E o embargo alemão manifesta o autoritarismo com que as potências ocidentais têm tratado a guerra na Ucrânia.

O embargo provavelmente terá implicações mais amplas para as relações entre Brasil e Alemanha. O governo brasileiro teve uma relação tensa com a Alemanha nos últimos anos, com disputas sobre política ambiental e questões de direitos humanos. No entanto, o embargo do veículo blindado Guarani marca uma escalada significativa das tensões entre os dois países, ameaçando a economia brasileira e sua posição no mercado internacional de defesa.

Além de revelar a dependência do Brasil de tecnologia e parcerias estrangeiras, o embargo traz à tona a necessidade de uma política externa mais assertiva em relação à Alemanha, reafirmando nossa tradição de posicionamentos soberanos.


Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *