Allyson subverte a lógica da dependência

Com a vitória de Lula (PT), pensou-se que Allyson Bezerra (SDD) teria dificuldades em assegurar recursos para Mossoró. Nesse cenário, o prefeito sairia enfraquecido e Isolda Dantas (PT), apontada por muitos como pré-candidata à Prefeitura, ganharia força.

Bezerra e a governadora Fátima (PT) nunca foram aliados. No final do ano passado o alcaide recorreu a Fábio Faria (PL), então ministro das Comunicações, para firmar uma parceria para trazer recursos do Governo Federal para a cidade.

Com a aprovação pela Câmara Municipal da contratação de empréstimos de quase R$ 500 milhões, Bezerra subverte aquilo que foi imaginado quando da vitória de Lula. O prefeito agora terá em suas mãos meios financeiros para tocar obras que imprimam ritmo de realização em sua gestão.

Com os empréstimos, sai de cena a dependência para entrar a garantia de seu projeto político em curto prazo, sua reeleição em 2024. Recursos e emendas destinados por parlamentares e governos são sempre importantes, o que muda para Bezerra é que, ele agora tem para si as rédeas de ações que para acontecerem, não dependerão do campo adversário.

Allyson pode ainda conseguir mais pontos políticos. 2 oposicionistas votaram a favor da contratação dos empréstimos, abrindo espaço para uma aproximação com o governo. E até mesmo dos 7 vereadores que votaram contra, 5 já ocuparam a bancada governista. Num cenário de mais fortalecimento para o prefeito não será de se estranhar que alguns desses vereadores retornem à fileira governista.