Anulação de curso de formação para a Fundase/RN causa revolta entre candidatos

A Fundação de Atendimento SocioEducativo (Fundase/RN) gerou polêmica ao anunciar a anulação do curso de formação para a entidade. A decisão, divulgada no Diário Oficial do Estado e nas redes sociais do secretário estadual de Administração, Pedro Lopes, provocou críticas por parte dos participantes do concurso público. Diversos candidatos expressaram sua insatisfação nas redes sociais,…

A Fundação de Atendimento SocioEducativo (Fundase/RN) gerou polêmica ao anunciar a anulação do curso de formação para a entidade. A decisão, divulgada no Diário Oficial do Estado e nas redes sociais do secretário estadual de Administração, Pedro Lopes, provocou críticas por parte dos participantes do concurso público.

Diversos candidatos expressaram sua insatisfação nas redes sociais, questionando o motivo da anulação da etapa em que foram aprovados. Um dos classificados manifestou sua indignação em uma postagem no Instagram, indagando qual seria o objetivo dessa medida e mencionando que já aguarda a convocação há um ano.

Segundo Pedro Lopes, a anulação foi motivada por um vazamento de informações do certame, ocasionado por um “erro grosseiro” da banca examinadora, o instituto AOCP. Em suas declarações, ele afirmou: “A comissão do concurso Fundase recebeu denúncia de vazamento da prova do curso de formação, que aconteceu por erro grosseiro da banca. Neste caso não há alternativa que não seja a anulação da prova e sua reaplicação para evitar futuro cancelamento do certame. Lamentamos o ocorrido.”

O Governo do RN emitiu uma nota explicando que o problema ocorreu devido a um erro no sistema adotado pela banca examinadora, que permitiu a antecipação das questões da prova, comprometendo assim a isonomia do processo seletivo. A comissão organizadora do concurso público confirmou o ocorrido, mencionando que o sistema liberou equivocadamente algumas questões de forma antecipada.

A anulação gerou insatisfação e preocupação entre os candidatos, que agora terão que se preparar para a reaplicação da prova, enquanto aguardam o desfecho do processo seletivo.

Já o secretário Pedro Lopes, em entrevista ao Canal Balbúrdia, afirmou que as etapas serão cumpridas e que – mesmo por decisão judicial – os aprovados serão empossados até 31 de julho.


Comments

2 respostas para “Anulação de curso de formação para a Fundase/RN causa revolta entre candidatos”

  1. Avatar de JOSÉ Luiz de Oliveira
    JOSÉ Luiz de Oliveira

    CONCURSO FUNDASE
    As inúmeras irregularidades que vêm acontecendo nas etapas do concurso

    Muitos candidatos que fizeram a prova do concurso da Fundase estão sendo prejudicados e sem uma classificação correta , pois houve uma migração de muitos candidatos cotistas para a vaga da ampla concorrência permanecendo até hoje . Os erros começaram desde a prova discursiva , a lista de classificação, o Teste de Aptidão Física (TAF) até o Curso de Formação, com inúmeros vícios no Certame e várias demandas judiciais contra a Fundase e a banca AOCP. Um dos gravíssimos erros está no Curso de Formação, pois viola a Lei Complementar Nº 614 de 2018, a própria lei da Fundase, em que o curso de formação tem que ser eliminatório e classificatório . Por outro lado, os aprovados dentro das vagas formaram uma comissão e foram falar com o promotor, Marcos Aurélio ,da 21ª Promotoria , propondo que o curso fosse apenas ELIMINATÓRIO , os quais obtiveram êxito.
    Ademais, nos últimos dias, o Secretário da Administração , Pedro Lopes ,divulgou que iria ter outra prova do Curso de Formação , pois houve venda de simulados com as questões da prova. Diante disso, a Comissão procurou-o, e por seu genro Hélio estar nas vagas ele atendeu o pedido que a prova mais uma vez fosse de forma online e apenas eliminatória, visto que na lei diz que tem que ser PRESENCIAL . Diante do exposto, já tem um processo no TCE sobre esse certame sugerindo a suspensão até sanarem os vícios , contudo a filha do secretário Pedro Lopes trabalha no TCE, o qual fica sob suspeita essa suspensão, uma vez que ela namora com o candidato Hélio.
    Portanto, há inúmeros candidatos prejudicados e a Fundase, o Ministério Público e a banca estão querendo que o concurso prossiga, mesmo com tamanhas irregularidades. Onde fica o princípio da legalidade e da isonomia ? A política está acima das leis? O MPRN é o fiscal da lei, mas está sendo omisso neste certame.

  2. Avatar de Luiz Carlos de Lima
    Luiz Carlos de Lima

    A reaplicação da prova não é o motivo da indignação dos aprovados. A revolta dos candidatos aprovados são diversos erros, arbitrariedades e irregularidades cometidos pela Banca e Fundase(Comissão do concurso) durante o certame que prejudicou e ainda está prejudicando dezenas de candidatos que não estão dentro das vagas imediatas, violando a Lei 614/18 e os Princípios da Legalidade e Isonomia. Um absurdo!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *