Aplicativos querem pagamento de R$ 30 por hora a motoristas, sem vínculo empregatício

Os aplicativos de transporte, como Uber e 99, deverão manter a proposta de estabelecer uma remuneração fixa de R$ 30 por hora trabalhada aos motoristas, sem estabelecer vínculo empregatício. No entanto, a proposta ainda não foi aceita pelos trabalhadores, e o consenso sobre a regulamentação da categoria permanece não resolvido.

Na semana passada, as discussões entre os trabalhadores de aplicativos e as plataformas não atingiram um ponto de acordo sobre a regulamentação do setor. A proposta, apresentada na quarta-feira (13), foi recusada pelos motoristas, que argumentam que as condições propostas não atendem às suas necessidades e demandas laborais.

As principais divergências entre as empresas e os movimentos de trabalhadores em aplicativo se concentram no modelo de remuneração e na aplicação ou não de vínculo empregatício formal.