Apoio à reeleição de Arthur Lira na Câmara divide PT

Arthur Lira, presidente da Câmara dos Deputados, já acenou. O deputado federal José Guimarães (PT-CE) acenou primeiro. O Progressistas, partido de Lira, não sabe há décadas o que é ser oposição. E não precisa aprender.

No governo que se inicia em 2023 há espaço para todos. Ninguém formou uma maioria incontestável que possa harmonizar a política brasileira.

Lula deseja compôr com Arthur Lira, dando o apoio do PT e do governo à sua reeleição. Gleisi Hoffmann é contra.

Defensores da aliança recordam o fracasso que foi a decisão de Dilma Rousseff em enfrentar a bancada de Eduardo Cunha na Câmara. Custou-lhe o mandato.

Opositores do acordo alegam que não há garantias com Lira no comando da Casa que pode abrir ou não processos de impeachment. E ainda acham que é de o PT se afirmar elegendo aliados que estiveram na campanha de Lula.

A no legislatura começa em 1º de fevereiro. Até lá, não é impossível que PT e Arthur Lira estejam juntos.