Após denúncias de mau uso de recursos, Sinsenat põe à venda patrimônio

O Sindicato dos Servidores de Natal (Sinsenat) convocou para o próximo dia 17 assembleia geral com pauta única: a venda de um ônibus que pertence à entidade. O edital foi publicado no Agora RN do dia 8 de fevereiro, mas não consta das redes oficiais do sindicato no momento em que realizamos consulta, pouco antes…

O Sindicato dos Servidores de Natal (Sinsenat) convocou para o próximo dia 17 assembleia geral com pauta única: a venda de um ônibus que pertence à entidade.

O edital foi publicado no Agora RN do dia 8 de fevereiro, mas não consta das redes oficiais do sindicato no momento em que realizamos consulta, pouco antes desta publicação.

Chama a atenção que a venda se dá poucos dias após o escândalo envolvendo a diretoria do sindicato, que teve ampla repercussão na cidade.

Entenda o caso

Recentemente, repercutiu na imprensa potiguar um áudio em que diretores do Sinsenat se acusam mutuamente de corrupção (leia aqui a matéria do Saiba Mais sobre o assunto).

Em alguns trechos podemos ouvir diretores do sindicato dizendo frases como essas:

“Mil reais pra fazer um churrasco enquanto tem servidor passando fome?”
“Isso é enganar o servidor.”
“É tanta roubalheira.”
“Muita roubalheira aqui dentro”

A diretoria do Sinsenat divulgou à imprensa um vídeo em que declara que o carro particular que teria sido lavado com dinheiro do sindicato estaria em uso para atividades do mesmo. Contudo, não esclareceram sobre quando pretendem apresentar aos trabalhadores a prestação de contas.

“Jota Neto é um pavão. Ele manda em tudo sozinho e ninguém sabe das finanças do sindicato”, disse um diretor em condição de anonimato. “No começo, havia um projeto político com a CUT e a Confetam. Mas depois Jota mostrou quem era, é tudo pela vaidade dele, pelos interesses dele. A gente tinha a esperança de resgatar o Sinsenat, que estava destruído por Soraya. Jota nos traiu”, disse ainda nossa fonte.

Sem perspectivas de solução

As crises do Sindicato dos Servidores de Natal parece não ter fim. Enquanto isso, a categoria segue insegurança sobre os rumos da luta por melhores condições de trabalho.

A redação do Blog do Girotto tentou contato com o coordenador-geral do Sinsenat, Jota Neto, e obteve a promessa de uma entrevista, que não se realizou até o fechamento desta matéria. Em breve, traremos novas versões dos fatos, sempre comprometidos em esclarecer a nossos leitores os aspectos da política que escapam às observações mais desatentas.


Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *