Avança a luta pelos direitos dos povos tradicionais de matriz africana

A resolução 715, do Conselho Nacional de Saúde, reconhece os povos tradicionais de matriz africana como promotores de saúde. A conquista resulta da luta dos movimentos populares, com destaque para o ativismo de Doté Olissassi, de Extremoz.

A resolução 715, do Conselho Nacional de Saúde, reconhece os povos tradicionais de matriz africana como promotores de saúde. A conquista resulta da luta dos movimentos populares, com destaque para o ativismo de Doté Olissassi, de Extremoz.

Em uma decisão marcante, o Conselho Nacional de Saúde, por meio da Resolução 715, reconheceu oficialmente os Povos Tradicionais de Matriz Africana como promotores de saúde. Esta medida destaca a significativa influência dessas comunidades na promoção do bem-estar e na manutenção da saúde, fortalecendo sua parceria com o Sistema Único de Saúde (SUS).

O reconhecimento foi celebrado durante a 17ª Conferência Nacional de Saúde, cujo tema central foi “Garantir Direitos e Defender o SUS, a Vida e a Democracia – Amanhã vai ser outro dia”, realizada pelo Ministério da Saúde.

[image_caption]

O engajamento dos Povos Tradicionais de Matriz Africana foi evidenciado através do Fórum Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional dos Povos Tradicionais de Matriz Africana (FONSANPOTMA), que promoveu a Conferência Livre Nacional de Saúde dos Povos em Brasília.

Doté Olissassi, morador de Extremoz e coordenador nacional de articulação política do FONSANPOTMA, enfatizou a importância da união entre essas comunidades e o SUS para a promoção da saúde. Ele ressaltou que as Unidades Territoriais Tradicionais, como terreiros, roças e casas, têm papel fundamental nesse processo, e que o equilíbrio da natureza, com suas folhas e águas, é essencial para a energia Axé tão vital em suas tradições.

“Nós temos essa luta há tempos. O fim completo da escravidão só acontecerá, de fato, quando nossa cultura também for reconhecida. Até lá, teremos muita luta pela frente”, disse Doté.

O reconhecimento formal dos Povos Tradicionais de Matriz Africana como promotores de saúde é um marco significativo, reforçado ainda pelo Decreto Federal nº 6.040 de 2007, que já os reconhecia como comunidades tradicionais. A Resolução 715 solidifica este reconhecimento, destacando a relevância de suas práticas e saberes na manutenção da saúde.

O ato do Conselho Nacional de Saúde não apenas reconhece, mas também legitima a contribuição inestimável dos povos tradicionais de matriz africana para a promoção da saúde, estabelecendo uma ponte crucial entre as práticas tradicionais e os sistemas de saúde modernos. Essa resolução é um passo importante na direção da valorização e preservação dessas tradições ancestrais que tanto enriquecem a cultura e o entendimento da saúde como um todo.


Comments

Uma resposta para “Avança a luta pelos direitos dos povos tradicionais de matriz africana”

  1. Avatar de Deise de lira
    Deise de lira

    Parabéns pelo reconhecimento de sua luta meu amigo @doteolissassi, vamos juntos que ainda tem muitas batalhas a serem vencidas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *