Avançam indicações para o 2º escalão do Governo Federal, passado o carnaval

Após definir que os comandos da Codevasf e do Dnocs continuariam sob o controle do Centrão, o Palácio do Planalto se prepara para distribuir cargos do segundo escalão do governo nos estados. Dentre os órgãos mais cobiçados para nomeações estão o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e o Instituto Nacional de Colonização e…

Após definir que os comandos da Codevasf e do Dnocs continuariam sob o controle do Centrão, o Palácio do Planalto se prepara para distribuir cargos do segundo escalão do governo nos estados. Dentre os órgãos mais cobiçados para nomeações estão o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). A expectativa é que também sejam distribuídos postos secundários nas coordenadorias regionais da Codevasf e do Dnocs.

O governo aguardou a organização das bancadas após a posse no Congresso para iniciar a distribuição de cargos. Segundo o jornal O Globo, as indicações são negociadas diretamente com o Ministério das Relações Institucionais, comandado por Alexandre Padilha, para que então sejam encaminhadas à Casa Civil, responsável por verificar se há restrições legais para as nomeações.

Embora essas autarquias estejam ligadas a ministérios, muitos deles comandados por partidos aliados, a diretriz definida por Lula é que as legendas não controlam todos os cargos que estão sob o guarda-chuva de suas pastas. Por isso, o governo deve distribuir os cargos levando em consideração outros fatores além do apoio político dos partidos.

O Dnit é responsável por planejar, projetar, construir, operar e manter a infraestrutura de transportes no país, incluindo rodovias, ferrovias, hidrovias e aeroportos. Já o Incra é responsável por promover a reforma agrária e regularizar a ocupação de terras rurais, garantindo o acesso à terra e a promoção da agricultura familiar.

Os cargos do segundo escalão são importantes para o bom funcionamento desses órgãos e são responsáveis por coordenar ações em nível estadual e regional.

A distribuição dos cargos do segundo escalão também pode ter impacto na governabilidade do presidente Lula. A disputa política pelos cargos é intensa e pode gerar insatisfação entre aliados que não receberem a indicação que esperavam. Isso pode levar a uma maior fragmentação do Centrão, o que pode dificultar a aprovação de projetos do governo no Congresso.


Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *