Bastidores das indicações ao TCE-RN esquentam

O Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Norte (TCE-RN) se prepara para mudanças em seu quadro de conselheiros em 2024, quando dois dos seus membros, Adélia Sales e Tarcísio Costa, atingirão a idade máxima para aposentadoria compulsória.

O Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Norte (TCE-RN) se prepara para mudanças em seu quadro de conselheiros em 2024, quando dois dos seus membros, Adélia Sales e Tarcísio Costa, atingirão a idade máxima para aposentadoria compulsória.

A vaga de Adélia é reservada aos conselheiros substitutos e será indicada pela governadora Fátima Bezerra, enquanto a de Tarcísio é escolhida pela Assembleia Legislativa.

Com vencimentos atuais de R$ 35.462,22 e sendo cargo vitalício, o posto de conselheiro é uma das funções mais desejadas na estrutura do governo.

Possíveis nomes sendo especulados

Desde o ano passado que se discute nos bastidores na política potiguar as possíveis indicações para o TCE. Uma das apostas mais recorrentes é que se indique para a vaga de Tarcísio Costa algum membro da bancada da Federação Brasil da Esperança (FBE) no legislativo estadual.

Formada por PT, PV e PCdoB, a FBE tem como 1º suplente Vivaldo Costa (PV). A ideia é que com a indicação de um de seus deputados se abra a vaga para Vivaldo assumir. O nome mais cotado é o do deputado estadual George Soares, mas também se fala em Hermano Morais, ambos do PV.

Outra possibilidade que muitos consideram forte seria a indicação do atual vice-governador Walter Alves. Isso transformaria o presidente da Assembleia, Ezequiel Ferreira (PSDB), no 1º na linha de sucessão de Fátima.

Eleito para dois novos mandatos à frente da Casa, Ezequiel assumiria o Governo do Estado em 2026, numa eventual renúncia de Fátima para concorrer ao Senado.

Para a vaga de Adélia Sales, a ser indicada pela governadora, fala-se muito no nome de seu assessor de confiança Raimundo Alves. Raimundo tem lidado por Fátima com os ossos duros da política estadual, e sua indicação seria um reconhecimento pela disciplina e lealdade com que vem executando suas missões.

Também se fala no nome de outro importante assessor e conselheiro da governadora, Adriano Gadelha. Adriano é figura central na política petista há muitos anos. Seria um nome facilmente aceito pelo parlamento.

Essas são as especulações do momento. Mas a política e também a governadora Fátima costumam surpreender.

Critérios para a indicação

A indicação dos novos conselheiros é feita mediante lista tríplice organizada pelo TCE, com observância de critérios como idade, idoneidade moral, reputação ilibada, conhecimentos jurídicos, contábeis, econômicos e financeiros ou de administração pública, e mais de dez anos de atividade profissional.

Apesar disso, a tradição é de indicações políticas. Basta ver a história da composição do Tribunal. E nisso não qualquer ilegalidade, embora pareça contraditório a muitos.


Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *