Bíblia se torna ítem mais valioso já negociado, leiloada por US$ 38,1 milhões

A casa de leilões Sotheby’s, sediada em Nova York, nos Estados Unidos, realizou nesta quinta-feira (18/5) a venda da Bíblia hebraica mais antiga e completa já registrada. O manuscrito, conhecido como Códice Sassoon, foi arrematado por impressionantes US$ 38,1 milhões, o que o torna o manuscrito mais valioso já vendido em um leilão.

O Códice Sassoon é considerado a mais antiga cópia sobrevivente do manuscrito que contém os 24 livros da Bíblia hebraica. Acredita-se que tenha sido escrito há cerca de 1.100 anos, representando um tesouro histórico de valor inestimável.

O comprador do manuscrito foi o ex-embaixador americano Alfred Moses, que adquiriu o texto em nome do Museu do Povo Judeu (ANU) em Tel Aviv, Israel. Moses destacou a importância da Bíblia hebraica ao afirmar: “Ela é a mais influente da história e forma a base da civilização ocidental. Fico feliz em saber que pertence ao povo judeu. Minha missão, percebendo o significado histórico do Códice Sassoon, era fazê-lo residir em um local globalmente acessível para todos”.

Essa venda superou o recorde anterior de US$ 30,8 milhões, estabelecido em 1994, quando o cofundador da Microsoft, Bill Gates, adquiriu o Codex Leicester, o caderno científico de Leonardo da Vinci.