Boicotes a empresários ‘petistas’ assustam comerciantes; é o reino da estupidez

Quando diversas empresas brasileiras foram denunciadas por utilizar de “trabalho análogo à escravidão” em suas confecções, uma pequena onda de revolta atingiu certos nichos da internet brasileira. Alguns até consideraram deixar de comprar em tais empresas. Mas o assunto morreu, ninguém se lembra. A moda que persiste é o cancelamento por divergências políticas legítimas. E…

Foto: Ueslei Marcelino

Quando diversas empresas brasileiras foram denunciadas por utilizar de “trabalho análogo à escravidão” em suas confecções, uma pequena onda de revolta atingiu certos nichos da internet brasileira.

Alguns até consideraram deixar de comprar em tais empresas. Mas o assunto morreu, ninguém se lembra.

A moda que persiste é o cancelamento por divergências políticas legítimas. E esta moda perigosa tem assustado comerciantes em todo o país.

Circulam pelas redes sociais listas de ‘empresas petistas’, que são denunciadas como tal e passam a sofrer campanhas de boicote por grupos de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro.

Pouco após o primeiro turno das eleições, um questionamento chamou a atenção da cabeleireira Monika Ganem. “Uma cliente ligou para perguntar a um profissional do meu salão se eu estava trabalhando pro Lula. Ele respondeu: ‘claro que não’”, relatou a empresária, que há 30 anos é dona de um salão de beleza em Maringá (PR).

Dias depois, ela descobriu que o seu estabelecimento estava em uma “lista de petistas” que eleitores de Jair Bolsonaro (PL) elaboravam para que pessoas deixassem de frequentar.

“Fiquei me sentindo na fogueira da inquisição ou nos porões da ditadura militar”, revelou a cabeleireira à BBC.

Ela sequer pediu votos para Lula. O que não faria qualquer diferença.

A inquisição brasileira trata como crime a divergência política. Do boicote à violência física escancarada é passo curto demais, como temos visto.

Claro que a tragédia nacional da intolerância não é exclusiva de eleitores de Bolsonaro. Frequento diversos ambientes cujos proprietários são bolsonaristas e recebo diversas negativas de amigos que chamo a esses locais. A explicação? Os donos são bolsonaristas.

A estupidez grassa soberana por todos os lados. O que destaca certos grupos bolsonaristas dos demais rebanhos é que eles são mais organizados, ativos e agressivos que os outros.

É uma diferença que merece ser registrada.

Nossa espécie está habituada a conviver com níveis medianos de idiotice. Mas a idiotice extrema aliada à violência crescente deve receber uma atenção especial. Ou isso ou entremos logo nos portões do anarcocapitalismo distópico. São escolhas que fazemos todos os dias.


Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *