Brasil registra inflação acumulada de 2,7% entre janeiro e abril, sendo o 5º maior percentual do G20

O Brasil registrou uma inflação acumulada de 2,7% nos primeiros quatro meses do ano, segundo dados divulgados. Essa taxa coloca o país como o 5º maior entre os países do G20, com exceção da Austrália, que apresenta dados trimestrais. As maiores taxas de inflação para o mesmo período são da Argentina (31,9%), da Turquia (15,2%), da Alemanha (3%) e da França (2,8%).

O levantamento considera os dados divulgados por 17 países até abril, além da Zona do Euro.

A inflação é um indicador econômico que mede o aumento geral dos preços de bens e serviços em um determinado período. Inflação alta, como sabemos, pode impactar negativamente o poder de compra da população mais pobre.

A Argentina lidera a lista, com uma taxa de inflação acumulada de 31,9% entre janeiro e abril. O país sul-americano tem enfrentado desafios econômicos significativos nos últimos anos, incluindo altas taxas de inflação e uma moeda volátil.

A Turquia também apresenta uma taxa elevada, com inflação acumulada de 15,2% no período mencionado. A economia turca tem sido afetada por diversos fatores, incluindo instabilidade política e desvalorização da moeda local.

Entre os países com taxas de inflação mais moderadas, a Alemanha registrou um aumento de preços de 3% e a França de 2,8%. Esses números estão em linha com a média da Zona do Euro, que teve uma inflação acumulada de aproximadamente 2,7% no mesmo período.