Brasil se nega a enviar armas para a Ucrânia

O ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, reafirmou o compromisso do Brasil com a paz e a não intervenção em conflitos armados ao vetar o envio de munições de tanques para a Ucrânia, durante a Conferência de Segurança de Munique, na Alemanha, na última sexta-feira, 17. A medida atinge um pedido da Alemanha, que receberia…

O ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, reafirmou o compromisso do Brasil com a paz e a não intervenção em conflitos armados ao vetar o envio de munições de tanques para a Ucrânia, durante a Conferência de Segurança de Munique, na Alemanha, na última sexta-feira, 17. A medida atinge um pedido da Alemanha, que receberia a munição e a repassaria para o governo ucraniano, em meio à invasão da Rússia.

“Em vez de participar de uma guerra, preferimos falar de paz”, disse Mauro Vieira. “O Brasil está pronto para ajudar sempre que possível”. Com essa postura, o Brasil segue um caminho pacifista, de não intervenção, que tem sido sua marca na política internacional.

Nos últimos dias, o envio de tanques e outros armamentos para a Ucrânia tem estado no centro das discussões sobre suporte militar para Kiev. Os Estados Unidos anunciaram o envio de unidades do modelo M1 Abrams e a Alemanha, do Leopard 2, depois de dias de hesitação.

O veto do Brasil é um exemplo de como a diplomacia pode ser uma ferramenta importante na resolução de conflitos, ao mesmo tempo em que evita a escalada da violência e da guerra. O ex-presidente Lula, em entrevista à CNN Internacional na semana passada, afirmou que a invasão na Ucrânia foi “um erro da Rússia” e que não concordou com o envio das munições porque o Brasil não quer entrar em guerra, mas sim acabar com a guerra.

O Brasil tem uma tradição de buscar a paz e a conciliação, atuando como mediador em diversos conflitos internacionais. A posição firme do ministro Mauro Vieira em Munique reafirma o compromisso do país com a defesa da paz e da justiça, sem abrir mão de sua soberania e independência.


Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *