Carnaval de Natal movimenta cultura e economia

Desde a última quinta-feira, Lívia Pacheco e Allan Almeida comandam o reinado de Momo em Natal. A coroação se deu em grande festa no pátio da Capitania das Artes.

Os investimentos públicos nas festividades de carnaval já dão resultados, tanto no clima da cidade quanto na economia. Prévias privadas, eventos empresariais e atividades de entidades públicas também movimentam o primeiro carnaval depois da fase mais severa da pandemia, que impediu a realização dos eventos por dois anos.

O Instituto Fecomércio RN apurou que os natalenses pretendem gastar mais no carnaval deste ano, com destaque para despesas no setor de alimentos e bebidas. E, com a realização de intensa programação, a expectativa é que a capital atraia mais turistas este ano.

Ainda segundo o levantamento da Fecomércio, o comércio de rua deve ser aquele que mais se beneficiará dos festejos espalhados por toda a cidade. Serão seis polos recepcionando eventos diversos: Ponta Negra, Petrópolis, Rocas, Centro Histórico, Nazaré e Redinha.

A Prefeitura de Natal estima que ao todo serão 49 bandas de frevo, 275 músicos de palco entre 55 atrações musicais, 49 blocos e troças, e 13 escolas de samba a se apresentarem nos festejos oficiais.

Trouxemos de volta a festa multicultural que já é a cara do nosso carnaval. Por isso as melhores expectativas.

Álvaro Dias, prefeito de Natal

Na quinta-feira, 16 de fevereiro, o prefeito entregará a chave da cidade ao Rei Momo e à Rainha do Carnaval. Mas já antes as festas tomam conta da cidade, movimentando foliões e fazendo circular o dinheiro.

A programação completa do Carnaval de Natal, em seus seis polos, pode ser conferida neste link.