Cipriano Maia é sacrificado no altar da hipocrisia

Na noite de quarta-feira (3), a governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, anunciou através de suas redes sociais a nomeação da nova secretária de Estado da Saúde Pública (Sesap), a Dra. Lyane Ramalho.

Ramalho assume o cargo nesta quinta-feira (4), substituindo Cipriano Maia, que estava no cargo desde o início da gestão Fátima. A governadora também anunciou que a Dra. Leidiane Queiroz assumirá como secretária adjunta da Sesap. Em seu anúncio, Fátima Bezerra reforçou o compromisso do governo estadual em trabalhar pela defesa e fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS) no estado.

Cipriano Maia – é verdade – esteve muito longe de realizar uma grande gestão à frente da Saúde. O RN segue enfrentando filas intermináveis e trágicas. A qualidade dos serviços de saúde parece se deteriorar ano após anos. E ainda por isso são constantes os questionamentos sobre contratos da Sesap, questionamentos que boa parte das vezes apresentam sólidas bases.

Contudo, o que ouvimos de frequentadores da Governadoria conta que Cipriano já vinha há tempos sendo alvo de injusta fritura no Governo do Estado. E este blog concorda com a avaliação.

Cipriano tem sido dedicado e leal aos serviços da governadora Fátima Bezerra. Aceitando, inclusive, o constrangimento de dirigir um secretaria na qual não possuía plenos poderes. A autonomia de Cipriano era severamente limitada. Quem acompanha o cotidiano da Sesap sabe disso.

O ex-secretário, que sequer recebeu maiores deferências do governo, deve estar aliviado em deixar o cargo. Mas os problemas de sua gestão, inclusive os legais, deverão incomodá-lo por muito tempo. Um herança maldita que agora jogam sobre os ombros de Cipriano, a meu ver injustamente. A imagem que tenho do ex-secretário é de pessoa séria e íntegra, corroborada por muitas fontes confiáveis. Se ele errou, foi ao aceitar as constantes interferências em sua pasta. E isso poderá lhe gerar ainda muitas dores de cabeça.