Como de costume, guerras reforçam aprovação de presidente democrata nos EUA

Na noite de ontem, Joe Biden fez um apelo aos americanos para que continuem apoiando Israel e a Ucrânia. O discurso veio após uma pesquisa que revelou o crescente apoio a ambas as políticas de seu governo.

O presidente Biden enfrenta desafios internos em seu próprio partido em relação à forma como os Estados Unidos lidam com o conflito entre Israel e o Hamas. Embora alguns democratas no Congresso discordem de sua abordagem, a maioria dos eleitores e apoiadores em geral demonstrou apoio a essa política.

Uma pesquisa da Quinnipiac University divulgada na terça-feira mostrou que 61% dos eleitores americanos apoiam Israel, o maior índice desde 2001. Isso representa um aumento significativo em relação aos 41% em 2021, quando a pesquisa foi realizada pela última vez durante um conflito armado entre Israel e o Hamas. Notavelmente, a maior parte desse aumento é impulsionada pelos democratas, cujo apoio a Israel supera o apoio aos palestinos, revertendo uma tendência de mais de uma década.

Quando se trata do papel dos Estados Unidos como aliado de Israel, a maioria dos democratas pesquisados pela Quinnipiac parece apoiar a posição de Joe Biden. Cerca de 60% dos eleitores democratas acreditam que o apoio dos EUA a Israel está correto, enquanto 28% acreditam que é excessivo. A maioria dos eleitores americanos (52%) concorda que o governo dos EUA está tomando a posição certa em relação a Israel, enquanto o restante se divide igualmente entre acreditar que há apoio insuficiente ou excessivo.

Essa é uma das questões mais populares para o presidente Biden, com mais eleitores aprovando sua resposta ao ataque do Hamas a Israel (42%) e sua política geral em relação a Israel (42%) do que desaprovando (37% e 39%, respectivamente).

A pesquisa também revelou que 47% dos eleitores americanos aprovam a resposta de Biden à invasão russa na Ucrânia, enquanto 45% desaprovam. A maioria dos eleitores concorda com a decisão de apoiar a Ucrânia (65%) como sendo do interesse nacional dos Estados Unidos, semelhante à questão de Israel (76%).

No entanto, as divisões partidárias são evidentes. Enquanto a maioria dos democratas (87%) acredita que apoiar a Ucrânia é do interesse nacional dos EUA, os republicanos têm uma visão diferente, com 84% apoiando Israel e apenas 49% apoiando a Ucrânia.


Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *