Demanda por energia no Brasil cresce 6,2% em setembro; onda de calor é apontada como principal causa

O crescimento do consumo em setembro é o maior desde junho de 2021, quando houve um aumento de 8,5% em relação a 2020. Esse aumento anterior foi em grande parte atribuído ao relaxamento das medidas de contenção da pandemia de Covid-19.

Em setembro, o Brasil experimentou um aumento significativo de 6,2% na demanda por energia, em comparação com o mesmo período do ano anterior, segundo dados da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). O consumo nacional alcançou a marca de 68 mil megawatts médios.

A recente alta na demanda por energia foi principalmente impulsionada pela onda de calor que afetou diversas regiões do país no último mês. Diante das altas temperaturas, houve um uso mais intenso de aparelhos de ar-condicionado, não só em residências, mas também em supermercados, centros comerciais e estabelecimentos de serviços, todos em busca de oferecer um ambiente mais confortável para os clientes e frequentadores.

Dentre os estados brasileiros, Maranhão, Rio de Janeiro e Acre lideraram o aumento no consumo, com altas de 21,8%, 18,6% e 18,3%, respectivamente. Em contraste, Amapá e Rio Grande do Norte foram os únicos estados a registrar uma queda no consumo, sendo -57,8% e -2,1%, respectivamente. Em São Paulo, estado de maior consumo energético do país, foi observado um aumento de 5,3%.

A retração no Rio Grande do Norte foi atribuída a um volume significativo de chuvas durante o período. Quanto ao notável declínio no Amapá, a CCEE ainda está investigando as causas por trás da diminuição na demanda.


Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *