Deputados bolsonaristas votam contra projeto que classifica pedofilia como crime hediondo

O projeto de Lei 1776/2015 entrou em requerimento de urgência nesta quarta e foi derrubado com 224 votos contra, sendo apenas 135 favoráveis. O que chama a atenção é quem, na bancada do RN, votou contra a urgência do projeto. Os parlamentares General Girão (PL), João Maia (PL), Benes Leocádio (UNIÃO) e Carla Dickson (UNIÃO)…

O projeto de Lei 1776/2015 entrou em requerimento de urgência nesta quarta e foi derrubado com 224 votos contra, sendo apenas 135 favoráveis. O que chama a atenção é quem, na bancada do RN, votou contra a urgência do projeto.

Os parlamentares General Girão (PL), João Maia (PL), Benes Leocádio (UNIÃO) e Carla Dickson (UNIÃO) votaram “não”. Justamente os candidatos que se dizem os defensores da família brasileira e da inocência das crianças. Já os deputados Walter Alves (MDB) e Natália Bonavides (PT) votaram “sim”. Rafael Motta (PSB) e Beto Rosado (PP) não estavam presentes.

Enquanto o bolsonarismo ignora essa pauta, a criminalização dos institutos de pesquisa parece preocupá-los mais. Não dormem no ponto.


Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *