Desmatamento na Amazônia bate recorde em fevereiro deste ano

Os são dados do Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). A perda de vegetação nos dois biomas foi a maior para o mês desde 2015 e 2018, respectivamente. O aumento em relação ao mesmo período do ano anterior foi de 62% na Amazônia e 99%…

Os são dados do Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). A perda de vegetação nos dois biomas foi a maior para o mês desde 2015 e 2018, respectivamente. O aumento em relação ao mesmo período do ano anterior foi de 62% na Amazônia e 99% no Cerrado.

O sistema Deter utiliza imagens de satélites com sensores ópticos, que podem ser afetados pela ocorrência de nuvens, o que pode ter influenciado os dados deste mês. Ainda assim, especialistas alertam que é preciso atuar para conter a destruição de ecossistemas. A Bahia foi responsável por 48% da destruição do Cerrado, seguida por Tocantins, Piauí e Maranhão.

Ações anunciadas pelo atual governo incluem a meta de reduzir pela metade o índice de desmatamento verificado no ano anterior e o fortalecimento do Ibama para fiscalização e proteção ambiental. O trabalho deve contar com recursos da União, do Fundo Amazônia e de órgãos como o Banco Interamericano de Desenvolvimento e o Fundo Global para o Meio Ambiente.

Os números preocupantes do Inpe mostram que as metas não serão fáceis de cumprir.


Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *