Dinarte Assunção: Os deputados que venceram nas cidades com cheiro de orçamento secreto no RN

Há na praça um relatório do LAIS encaminhado à Controladoria Geral da União e ao Ministério Público Federal sobre alguns números do orçamento secreto no Rio Grande do Norte. Orçamento secreto é um nome pomposo para emendas de relator. Ambos na verdade são nomes pomposos. No popular, o nome é bolsolão. A referência ao nome…

Há na praça um relatório do LAIS encaminhado à Controladoria Geral da União e ao Ministério Público Federal sobre alguns números do orçamento secreto no Rio Grande do Norte.

Orçamento secreto é um nome pomposo para emendas de relator. Ambos na verdade são nomes pomposos.

No popular, o nome é bolsolão. A referência ao nome do presidente é pelo óbvio motivo de ele anuir ao modelo de compra de voto no Congresso Nacional.

Trata-se de uma imoralidade com status institucional. É o mensalão legalizado. O caso foi revelado pelo Estadão.

Em 2022, o Rio Grande do Norte recebeu R$ 320 milhões em emendas parlamentares para a saúde dentro o orçamento ordinário. E R$ 66,7 milhões do orçamento secreto.

Os vencedores nas cidades com cheiro de orçamento secreto:
Deixa eu voltar ao relatório do LAIS. Consultando os bancos de dados do SUS, há algumas conclusões. Transcrevo algumas delas:

“O município de Olho D’água do Borges aferiu a pressão arterial cerca de 228 vezes em cada habitante no ano de 2020 (22.800% da população)”

“O município de Antônio Martins testou a glicemia de cada habitante 120 vezes ao longo de 2022 (12.000% da população)”.

Antônio Martins teve 4.854 votos válidos no primeiro turno. Os mais votados foram Robinson Faria (2.140 votos) e João Maia (793 votos).

Olho D’água do Borges teve 3.235 votos válidos no primeiro turno, dos quais 859 foram para Beto Rosado, vencedor disparado na cidade. Dentre os deputados eleitos, também foram bem votados João Maia (369) e Natália Bonavides (265).

Nossa, que absurdo você ser contra o municipalismo, Dinarte!
kkkkkkkkkkk (desculpem, mas eu tinha que demonstrar o riso)

Dinheiro chegando nas cidades é bom, né? O problema é que a gente não sabe quem está mandando, quanto e como exatamente é gasto.

É por isso que o nome é secreto.

Coisa semelhante aconteceu no Maranhão. Por lá gente já foi presa.

Num modelo igual ao que o LAIS levantou: mais procedimentos que habitantes na cidade significou, por lá, desvio de dinheiro.

Por aqui ainda damos o benefício da dúvida.

De verdade, pois a história tem que ser investigada, sobretudo porque há distorções detectadas antes da implementação do orçamento secreto.

Fonte: Blog do Dina


Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *