Divaneide lança candidatura de Mineiro ao Senado, com perda do mandato de Rogério Marinho no horizonte

A deputada estadual Divaneide Basílio anunciou que, havendo eleição suplementar em decorrência de uma possível perda do mandato do senador Rogério Marinho, irá trabalhar para que o deputado federal Fernando Mineiro seja candidato à vaga pelo Partido dos Trabalhadores (PT). Divaneide publicou em seu Twitter: “Se o mandato do senador Rogério Marinho for cassado por…

A deputada estadual Divaneide Basílio anunciou que, havendo eleição suplementar em decorrência de uma possível perda do mandato do senador Rogério Marinho, irá trabalhar para que o deputado federal Fernando Mineiro seja candidato à vaga pelo Partido dos Trabalhadores (PT).

Divaneide publicou em seu Twitter:

“Se o mandato do senador Rogério Marinho for cassado por abuso de poder político e uso da máquina pública, ficarei feliz pelo povo potiguar. O RN merece se livrar de um parlamentar bolsonarista. Defenderei internamente, que o PT apresente candidatura própria e lance @mineiroptrn como candidato ao Senado em caso de eleição suplementar.

O assunto ganhou destaque ontem (26), ao ser repercutido por uma postagem de Thaisa Galvão, que associou o processo contra Rogério Marinho, que corre em segredo de justiça, ao caso do senador Sérgio Moro.

Rogério é investigado por abuso do poder econômico na eleição para o Senado em outubro passado. Segundo o que se sabe, a investigação tem como alvo os recursos milionários que foram aportados no Rio Grande do Norte, através da CODEVASP.

Já o ex-juiz Sérgio Moro é investigado em dois processos, por abuso do poder econômico e suspeita de “caixa 2” em sua campanha ao Senado.

O caso de Moro, até onde é possível afirmar comas informações disponíveis, está em fase adiantada, e os atores políticos e judiciários já deram todos os sinais públicos de que será uma causa perdida para o senador paranaense.

Os processos contra Rogério Marinho

Já Rogério Marinho responde também a mais de um processo. Aquele que foi objeto da postagem de Thaisa Galvão se trata de possíveis crimes eleitorais. Caso condenado, Rogério perderia o mandato e haveria eleição suplementar. Isso porque – mesmo seu suplente Flávio Azevedo não sendo alvo das denúncias – seria a própria chapa anulada, uma vez que se trata de crime eleitoral.

Em outro processo, bem mais adiantado, Rogério responde por um suposto esquema de cargos fantasmas na Câmara Municipal de Natal. A Justiça do RN já o condenou em 1ª instância, no último dia 31 de junho, mas o caso ainda passará pelo colegiado do Tribunal e certamente terá palavra final do Supremo. Caso venha a ter sua condenação confirmada pelo STF, Rogério perderá o mandato, e nesse caso particular a vaga no Senado seria assumida por seu suplente, Flávio Azevedo, uma vez que não se trata de crime eleitoral pelo qual a chapa que concorreu em 2022 possa ter sua inscrição anulada.


Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *