Gênero neutro para falar de Deus? Igreja na Inglaterra estudo adoção

A Igreja da Inglaterra, matriz da Comunidade Anglicana, anunciou recentemente sua intenção de explorar o uso de linguagem inclusiva ao se referir a Deus. Isso vem como resposta a pedidos de clérigos para mudar a linguagem usada nos cultos, já que a tradição cristã é de referir-se a Deus como sendo do gênero masculino, como…

A Igreja da Inglaterra, matriz da Comunidade Anglicana, anunciou recentemente sua intenção de explorar o uso de linguagem inclusiva ao se referir a Deus. Isso vem como resposta a pedidos de clérigos para mudar a linguagem usada nos cultos, já que a tradição cristã é de referir-se a Deus como sendo do gênero masculino, como “Ele” e “Pai”. No entanto, de acordo com a doutrina cristã oficial, Deus não possui gênero.

A questão da igualdade de gênero na Igreja tem sido um tema cada vez mais discutido, e algumas teólogas feministas, como Mary Daly e Joan Engelsman, argumentam que a imagem de Deus como feminina foi estrategicamente excluída da história cristã. Contudo, a imagem feminina de Deus sempre fez parte da história da Igreja, como é o caso de Hildegard de Bingen, uma respeitada abadessa da Idade Média, que imaginou e retratou o lado feminino de Deus em sua arte e trabalhos escritos, e de Juliana de Norwich, que falou sobre o lado materno de Deus nos anos 1300.

A Igreja está considerando várias opções para mudar a linguagem usada ao se referir a Deus, incluindo o uso de uma linguagem neutra, como “Parent”, em vez de “Father” (pai), ou ainda o uso de pronomes femininos, como “She” (Ela). Em 2014, Libby Lane se tornou a primeira bispa mulher da Igreja da Inglaterra e argumentou a favor do uso de pronomes femininos para se referir a Deus. O presidente do grupo Mulheres e a Igreja também se manifestou, afirmando que a introdução de bispas só teria impacto na vida das mulheres na Igreja se Deus pudesse ser referido tanto como “ele” quanto como “ela”. Já a bispa Rachel Treweek, consagrada em 2015, defende a eliminação de todos os pronomes de gênero ao se referir a Deus.

Com informações da BBC


Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *