Governo quer Alcolumbre relatando marco fiscal no Senado

Davi Alcolumbre (AP), uma das figuras mais influentes do União Brasil no Senado, foi escolhido para ser o relator do arcabouço fiscal na Casa Alta. Ele é visto como um dos principais intermediários entre o Palácio do Planalto e o partido resultante da fusão entre o DEM e o PSL. O senador já teve papel importante nas indicações ministeriais de sua legenda durante o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Enquanto isso, o Projeto de Lei Complementar (PLC) que trata do novo marco de contas públicas do Brasil aguarda aprovação na Câmara dos Deputados, sob a relatoria de Cláudio Cajado (PP-BA). Caso seja aprovado em plenário, seguirá para análise dos senadores. O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), anunciou que a proposição será votada até o dia 10 de maio.

O novo marco de contas públicas tem como objetivo trazer maior transparência às finanças do governo, além de reforçar o compromisso com a responsabilidade fiscal. O projeto prevê, por exemplo, a criação de um Conselho Fiscal da República, que seria formado pelos presidentes do Senado, da Câmara, do Tribunal de Contas da União (TCU), do Banco Central e pelo ministro da Economia.