Manchas de óleo na praia de Camurupim: autoridades investigam origem e garantem limpeza

Manchas de óleo voltaram a aparecer no litoral potiguar, desta vez, atingindo a praia de Camurupim, em Nísia Floresta, no litoral Sul. Banhistas que frequentavam a região localizaram o material em diversas áreas da faixa de areia.

Após as denúncias de nova contaminação de praias do Rio Grande do Norte por óleo de origem desconhecida, a Marinha, o Idema (Instituto de Defesa do Meio Ambiente) e a Defesa Civil de Nísia Floresta se dirigiram ao local, onde iniciaram a limpeza da área afetada. Parte do óleo recolhido será submetida a análises para determinar sua origem e composição.

Bismarck Sátiro, secretário adjunto de Meio Ambiente e Urbanismo de Nísia Floresta, ressaltou que o óleo encontrado em Camurupim difere das manchas localizadas em anos anteriores, em praias do Rio Grande do Norte e de outros estados do Nordeste. “É um óleo novo, totalmente diferente daquele encontrado recentemente nas praias”, declarou. Ele também informou que a substância é mais fácil de ser recolhida devido à sua aderência.

Idema garante situação sob controle

O Idema, através de uma nota oficial, tranquilizou a população do estado, assegurando que todas as medidas necessárias foram tomadas e que a situação está sob controle. A nota ressalta que, embora o reaparecimento de óleo seja uma consequência possível, dada a contaminação ocorrida em 2019, ainda não se pode confirmar qualquer relação entre os incidentes até a conclusão das análises do material.

O reaparecimento de pelotas de óleo é uma ocorrência prevista em casos como o de 2019, conforme explicado por Flávio Lima Silva, professor da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) e coordenador do Projeto Cetáceos Costa Branca. O óleo pode ficar depositado no fundo do mar ou nas praias e reaparecer meses depois, devido às condições meteorológicas e oceanográficas. Porém, só análises laboratoriais poderão confirmar a relação com o derramamento de 2019.

O monitoramento das praias do litoral potiguar é uma atividade rotineira do Comando Unificado de Incidentes, que conta com representantes do Governo do RN, organizações civis, MPF, MPE, IBAMA, Marinha, UFRN, entre outros órgãos. Na ocasião, a equipe da Secretaria de Meio Ambiente do Município de Nísia Floresta realizou uma vistoria no local, acionando a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil para comunicar sobre a ação de limpeza.


Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *