Marcelo Crivella inelegível, outra vez e de novo

A justiça eleitoral do Rio de Janeiro emitiu uma nova sentença no domingo (28), condenando o deputado Marcelo Crivella (Republicanos-RJ) à inelegibilidade e cassação de mandato pela segunda vez. A primeira condenação ocorreu em abril deste ano, também por abuso de poder econômico nas eleições para prefeito da cidade do Rio de Janeiro em 2020, quando Crivella foi derrotado por Eduardo Paes (PSD).

A primeira sentença foi resultado de um processo movido por Eduardo Paes, alegando uso abusivo dos recursos do fundo eleitoral por parte de Crivella. O deputado foi acusado de contratar a impressão de panfletos contendo informações falsas sobre seu rival, associando-o a pautas como a legalização das drogas e do aborto, mesmo sendo temas sobre os quais Paes nunca havia se pronunciado. Além disso, Crivella atribuiu erroneamente a candidatura de Paes ao Psol, partido que não fazia parte de suas alianças e que também tinha candidatura própria.

Como resultado, Crivella foi condenado a oito anos de inelegibilidade e cassação do mandato. Essa penalidade também se estendeu à sua suplente, Tenente Coronel Andréa Firmo, que na época era candidata a vice-prefeita. No entanto, a perda do cargo não foi apreciada pela Câmara dos Deputados, que optou por preservar a função de Crivella como deputado. O deputado apresentou um recurso contra a decisão.