MEC tenta conter revolta do movimento estudantil e recua nos bloqueios enquanto atos aconteciam

Aguerridos, os estudantes da UFRN foram às ruas para denunciar o corte no pagamento de suas bolsas e dos terceirizados, anunciados pela reitoria após os cortes orçamentários feitos pelo MEC. Eles se concentraram no Anfiteatro da UFRN e realizaram uma plenária repleta de revolta com as dificuldades que estudantes, estagiários e terceirizados já estavam enfrentando…

Foto: UNBTV

Aguerridos, os estudantes da UFRN foram às ruas para denunciar o corte no pagamento de suas bolsas e dos terceirizados, anunciados pela reitoria após os cortes orçamentários feitos pelo MEC.

Eles se concentraram no Anfiteatro da UFRN e realizaram uma plenária repleta de revolta com as dificuldades que estudantes, estagiários e terceirizados já estavam enfrentando e que, com os cortes, iriam se tornar ainda piores.

Com a plenária finalizada, o ato seguiu em caminhada ao Campus Central do IFRN. Durante o percurso, palavras de ordem exigiam o pagamento das bolsas e do salário dos terceirizados, efetivação dos terceirizados, por educação de qualidade e mais trabalhadores na universidade.

Em luta desde o início do ano contra os ataques feitos pelo governo e pela própria reitoria, os manifestantes demonstram sua insatisfação e que não fogem da luta em defesa da universidade pública e gratuita. Ainda no ato, receberam o anúncio de que parte do orçamento será devolvido aos cofres das instituições, mas a luta está longe de terminar.

O governo Bolsonaro não deixou nada além de rombos na educação pública. Ainda há muito a ser recuperado e, a julgar pelo empenho de nossos jovens, será conquistado na base de muita luta.


Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *