Novo mosquito da dengue não morre nem com inseticidas

Foto: Stephen Ausmus

Uma pesquisa do Instituto Nacional de Doenças Infecciosas do Japão identificou um mosquito da dengue mutante. O novo Aedes aegypti é ultrarresistente e não morre nem quando exposto a inseticidas, mostrou artigo publicado na revista Science Advances em 21 de dezembro.

A equipe de pesquisadores coletou mosquitos em diversos países, incluindo o Brasil. Mas 78% dos insetos encontrados em Camboja e Vietnã vinham com a mutação L982W, ligada à resistência à permetrina, inseticida comum no mercado. Cientistas já observaram essa mutação em mosquitos antes, mas nunca em taxas tão altas.

O estudo também identificou que os mosquitos encontrados em Phnom Penh, capital cambojana, têm uma resistência extrema a dois inseticidas usados com frequência para espantar esses insetos. Um dos inseticidas matou só 10% dos mosquitos, enquanto o outro não matou nenhum.

A pesquisa não encontrou a mutação em nenhum local além do Vietnã e Camboja, mas alerta para um possível avanço a outras regiões da Ásia – e, potencialmente, para outros continentes.

Vetor da dengue, febre chikungunya e zika vírus, o Aedes aegypti viaja com facilidade e seus ovos são resistentes por natureza: estudos já mostraram que podem sobreviver por meses na seca, por exemplo.

Fonte: giz-br