O que falta para Bolsonaro ficar inelegível?

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) está cada vez mais isolado politicamente. Sua conduta após a derrota em 2022 o fragilizou com as bases. Os atos de 8 de janeiro em Brasília ampliaram esse afastamento e o estenderam para os círculos políticos e institucionais brasileiros. O próximo passo rumo à exclusão definitiva de Bolsonaro da cena…

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) está cada vez mais isolado politicamente. Sua conduta após a derrota em 2022 o fragilizou com as bases. Os atos de 8 de janeiro em Brasília ampliaram esse afastamento e o estenderam para os círculos políticos e institucionais brasileiros.

O próximo passo rumo à exclusão definitiva de Bolsonaro da cena político-eleitoral brasileira caminha para ser a confirmação de sua inelegibilidade pela Justiça.

Os motivos que podem levar à inelegibilidade de Jair Bolsonaro incluem as acusações de que ele esteve por trás do golpe fracassado de 8 de janeiro e falhou em conter seus apoiadores que viram nele um grande líder político e não compreenderam que não se mexe com a democracia.

Além disso, Bolsonaro é alvo de 16 ações no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que podem levar à sua inelegibilidade. No entanto, é considerado praticamente impossível que Bolsonaro seja condenado e preso nos próximos quatro anos. O mais provável é que possíveis condenações se limitem à perda parcial dos direitos políticos, não chegando ao caso de prisão.

Cresce isolamento de Bolsonaro nas instituições

Representantes dos três poderes da República – Executivo, Judiciário e Legislativo – parecem unidos na compreensão de que Jair Bolsonaro deve ser tornado inelegível. Se baseiam, para isso, em uma série de acusações graves, das quais já falamos. Atualmente, Bolsonaro enfrenta 16 ações no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que podem levá-lo à inelegibilidade, além de inquéritos criminais e civis que podem resultar em sua condenação à prisão, embora improvável.

É muito improvável que Bolsonaro seja condenado e preso nos próximos quatro anos, mas os processos podem levá-lo à inelegibilidade. O que mais pesa hoje contra Bolsonaro é o fato de os discursos de representantes dos 3 poderes mostram a construção de um consenso pela responsabilização do ex-presidente.

Cenário sem Bolsonaro

Mesmo inelegível, a presença inelegível de Bolsonaro terá um grande impacto no cenário político nacional, especialmente porque ele tem vários herdeiros políticos que podem seguir seus passos. Esses herdeiros incluem seus dois filhos, Flávio e Eduardo, e dois governadores, Tarcísio de Freitas e Romeu Zema.

Bolsonaro não conseguiu construir um arco político que o reconduzisse ao poder, ao contrário de Lula, que soube construir um arco amplo de alianças que o levaram à vitória.

Bolsonaro foi eleito com a ajuda da onda conservadora de 2018; seu combustível é o antipetismo.

A presença de Bolsonaro em uma eleição é uma ameaça à democracia? Esse é o entendimento majoritário hoje, no meio polítco. Tenho minhas dúvidas. Sempre preferi os confrontos ideológicos abertos, onde as maiores aberrações podem ser combatidades de forma mais efetiva.

Outro aspecto da coisa é que Bolsonaro mantém nos segmentos mais extremistas uma sólida, embora decrescente, base política. A prisão de Bolsonaro poderia elevar o nível de tensão no Brasil e permitir que ele adotasse o papel de “mártir”. Isso certamente entrará nos cáclculos od Judiciário, cada vez mais ativo em temas políticos.

Bolsonaro segue na Flórida. Em momentos difíceis ele tem agido desta forma. Venceu em 2018 praticamente sem fazer campanha. Se omitiu após a derrota em 2022. Agora se recolhe nos EUA. Ele parece preferir agir apenas quando surgem boas oportunidades. E a depender do desempenho econômico do governo Lula, elas poderão ressurgir para este personagem marcado pela visita constante do tal cavalo selado.


Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *