Por que ninguém quer falar sério sobre o aumento das passagens?

Mal o prefeito Álvaro Dias anunciou os planos de reajustar a tarifa do transporte público e já vimos uma enxurrada de manifestações contrárias, algumas delas enraivecidas, como se fosse de um ataque premeditado e injustificado de que estamos falando.

As passagens de ônibus na capital tiveram seu último reajuste em 2019. Na ocasião, sob protestos, a passagem foi de R$ 3,65 para R$ 3,90. A inflação acumulada no período foi de 23,48%, isso contando o período entre janeiro de 2020 e abril deste ano (veja dados completos aqui). Em entrevista que realizamos com Gino Costa, do Setrans, o empresário revelou que o fluxo de passageiros foi drasticamente reduzido no período mais severo da pandemia e que ainda não retornou aos patamares anteriores (leia mais aqui).

Somado a esse debate, a exigência justa de empresários e da sociedade por uma nova licitação para o transporte público foi igualmente tratada de forma superficial e na maioria das vezes desinformada ou tendenciosa. O fato é que debate sobre a calamitosa situação de nosso transporte público exige muito mais do que aquilo que cabe numa manchete impactante.

Mesmo sabendo o pouco interesse que há em se debater de forma concreta e lúcida a questão, nós seguiremos com a missão de fazer os debates neste blog num patamar minimamente qualificado. Então, caso tenha interesse em se informar mais sobre o assunto e formar suas próprias convicções, indicamos a leitura dos artigos que publicaremos na sequência.

A licitação foi usada como arma política, mas na hora H tentaram travar processo

Transporte público de Natal exige grandes mudanças, diz empresário

De onde vem furiosa cultura de incendiar ônibus? Natal lidera a nação nesse quesito