Prepotência e abuso: secretária da Educação assedia professora

No Instagram, uma polêmica envolvendo a secretária da Educação do governo Fátima, Socorro Batista, e a professora da rede estadual de ensino, Cláudia Santa Rosa, chamou a atenção para diversos fatos. Um deles é o flagrante abuso de poder materializado em assédio moral contra uma servidora pública.

Cláudia Santa Rosa é professora da E. E. Dr. Manoel Dantas. Em seu perfil no Instagram, ela publicou um vídeo questionando o impacto da falta de professores nas turmas de alfabetização do RN. A professora também denunciou que em sua escola a situação ocorre desde o início do ano. Veja o vídeo aqui, onde também é possível acompanhar os comentários que relatamos nesta matéria.

Nos comentários, a secretária da Educação, Socorro Batista, partiu para ataques pessoais: “Se a senhora assumir a sala de aula para a qual foi concursada, o problema estará resolvido. A senhora faz o que na escola que não assume uma sala de aula?”, escreveu Socorro.

Nos últimos anos, Cláudia Santa Rosa assumiu a coordenação pedagógica de sua escola, convidada pela gestão escolar eleita por voto direto de toda a comunidade. A professora Cláudia é qualificada para a função por ter formação pedagógica. Portanto, exerce normalmente e legalmente suas funções, não havendo motivos para sua superior hierárquica, a secretária Socorro Batista, lhe fazer tais cobranças públicas.

Cláudia respondeu aos comentários da secretária: “@socorrobatistaeduc a sua gestão é pífia, mas eu ainda estava lhe conferindo carência pelos poucos meses no cargo, mesmo sendo um governo reeleito. Agora, depois dos seus comentários, a gestão da Educação do RN se apequenou por completo, diante dos seus comentários. Que nível! Passe bem”.

Não satisfeita, Socorro Batista manteve o tom dos ataques. “@ ex-secretária eu sei de tudo isso. Mas se a senhora é tão preocupada, assim como eu com a falta de professores por que não assume a função para a qual foi aprovada em concurso? É simples! Resolveria o problema da escola é daria demonstração de que realmente se preocupa com a sala de aula”, reforçou. E insistiu “@ insisto: vc faz o que na escola? Vc não fez concurso para as séries iniciais?”

Este não é o primeiro caso de assédio envolvendo gestores do Governo do Estado. Em reportagem recente, denunciamos o caso de um servidor que foi ameaçado por agentes do governo depois de reclamar dos atrasos no pagamento dos consignados em suas redes sociais.

A atitude de Socorro Batista revela o despreparo, a arrogância e a truculência de uma gestão que não consegue dar respostas aos problemas do RN. Na falta de iniciativa e soluções, preferem criar fatos e lacrar. Terceirizar a culpa pela má gestão tem dado certo até agora. Mas por quanto tempo a população do RN irá se contentar com tão pouco?

O Blog do Girotto tentou contato com a assessoria de imprensa da Secretaria de Educação, mas não obteve resposta. Nosso espaço segue aberto para as explicações da secretaria e de sua titular.