Presidente da CUT-RN exige investigação sobre privatização da Petrobras e defende retomada dos ativos

Iraílson Nunes falou as recentes denúncias envolvendo a venda da Petrobras no RN e atacou “impacto nocivo da privatização para os trabalhadores e consumidores”

Um dia após a audiência na Assembleia Legislativa, que debateu o preço dos combustíveis vendidos pela 3R no estado, o presidente estadual da Central Única dos Trabalhadores conversou com o Blog do Girotto sobre a situação da indústria do petróleo no RN.

Iraílson Nunes, que é metalúrgico, lamentou que “o povo potiguar esteja pagando o preço dessas privatizações irresponsáveis. É só você ver que somos um dos maiores produtores do país e pagamos a gasolina mais cara”.

“Os trabalhadores também foram penalizados. Muitos transferidos de seu estado, terceirizados deixados sem perspectiva de emprego. Temos que reverter esse quadro, pra ontem”, complementou.

Iraílson cobra investigação sobre vendas para a 3R

O presidente da CUT-RN ainda registrou preocupação quanto às denúncias que envolvem a privatização da Petrobras no Rio Grande do Norte. “Li muito sobre isso, inclusive aqui no blog, e fiquei chocado, como todo mundo. São indícios muito fortes de que o governo Bolsonaro vendeu o patrimônio público de forma irresponsável e criminosa”, disse.

Iraílson também citou um abaixo-assinado organizado por trabalhadores da Petrobras, que exige auditoria nos processos de privatização que envolvem a 3R no estado.

“Apoio totalmente. Até já assinei. Esse escândalo exige medidas concretas e duras contra quem lesou a sociedade”, disse.

Acesse aqui o abaixo-assinado por sindicância nas privatizações

Reestatização

Para Iraílson Nunes, diante da gravidade das denúncias e dos males causados à população do estado, o caminho para o impasse é a reestatização dos ativos da Petrobras no RN.

“A Petrobras possui capacidade operacional muito maior, é muito mais competitiva e eficiente. Veja que as refinarias da Petrobras vendem a gasolina mais barata do Brasil. O Rio Grande do Norte tem muito a ganhar com a volta das operações da refinaria para nossa empresa, a Petrobras”, concluiu.