Quem foram os alvos da ação da Polícia Federal contra financiadores de atos do 8 de janeiro

Ontem (5), a Polícia Federal (PF) cumpriu 53 mandados de busca e apreensão em diferentes estados do Brasil. Entre os principais alvos da ação, destacam-se uma socialite paulista e dois empresários. Todos os mandados foram expedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Os empresários Rodrigo de Souza Lins e Rodrigo Augusto Albani Borini são figuras centrais…

Ontem (5), a Polícia Federal (PF) cumpriu 53 mandados de busca e apreensão em diferentes estados do Brasil. Entre os principais alvos da ação, destacam-se uma socialite paulista e dois empresários. Todos os mandados foram expedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Os empresários Rodrigo de Souza Lins e Rodrigo Augusto Albani Borini são figuras centrais nas investigações da operação “Lesa Pátria”. Rodrigo Lins, além de empresário, foi eleito em 2022 como suplente de deputado estadual no Mato Grosso do Sul (MS) pelo Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB). Nas redes sociais, ele é conhecido por fazer críticas ao presidente Lula e por expressar apoio a políticos que endossam o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

Já Rodrigo Augusto Borini, empresário há pelo menos nove anos, é filho do ex-prefeito da cidade paulista de Birigui (SP), Wilson Carlos Rodrigues Borini. Ele é proprietário de uma empresa no interior de São Paulo, principalmente voltada para a agricultura, com foco no cultivo de milho, soja e na criação de gado para corte.

A socialite Marici Junqueira de Andrade Bernardes, residente em Araçatuba (SP), também é uma das investigadas. Entretanto, no momento da ação policial, ela não estava em sua residência, pois estaria passando por uma cirurgia plástica na capital paulista.

A principal finalidade da operação “Lesa Pátria” é identificar os responsáveis pelo financiamento e fomentação dos atos ocorridos em 8 de janeiro,.

Em termos legais, os envolvidos nos eventos de 8/1 podem ser acusados de tentativa de abolição violenta do Estado Democrático de Direito, golpe de Estado, dano qualificado, associação criminosa, incitação ao crime e destruição ou deterioração de bens especialmente protegidos.

A operação “Lesa Pátria” já está em sua 16ª fase e tornou-se uma iniciativa permanente dentro da PF. O ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino (PSB-MA), destacou a importância da operação, ocorrendo em uma semana simbólica, e enfatizou a defesa da democracia em suas redes sociais: “Que nunca mais queiram rasgar a nossa Constituição e destruir o Estado Democrático de Direito”.


Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *