Quem tem voz na Comunicação? Saiba mais sobre a 24ª Plenária Nacional do FNDC

Nos próximos meses, irão acontecer plenárias promovidas pelo Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação. Confira um resumo das pautas levantadas, da importância da mobilização e fortalecimento da luta do FNDC; ainda com contribuições de Admirson Medeiros (Greg), membro da executiva nacional do FNDC e dirigente da CUT – Nacional.

Quem tem voz na comunicação? Quais notícias são veiculadas, estão nos grandes portais e como elas são contadas? Foi a partir de questionamentos como esses que surgiu e se manteve, até hoje, o Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação. É para lutar pela garantia de que todas as histórias sejam contadas. Pois, nem mesmo a digitalização e a difusão do acesso aos meios de comunicação foram capazes de extirpar as raízes sociais e econômicas para garantir a liberdade de expressão, a diversidade nas vozes narradoras e combater a destilação de ódio. O FNDC reafirma seus deveres e sua luta nas plenárias agendadas para os próximos meses.

Nos últimos anos, foi possível observar que longe de fortalecer a possibilidade de uma democratização – afinal, cada indivíduo teria em mãos aparelhos que o conectasse com o restante do mundo, a ampla utilização dos meios digitais escancara como a influência do poder econômico costuma se sobrepor em diversas situações. Seja em casos isolados, como no de vítimas que têm suas denúncias sobrepostas por narrativas encomendadas por seus agressores, ou em casos que ultrapassam fronteiras, como as comprovadas intervenções russas nas eleições dos Estados Unidos.

A discussão em conjunto com a elaboração de uma agenda de ações que possa proporcionar um espaço mais diverso, participativo e inclusivo mostram-se densos e complexos. Visto que não basta que o cidadão possa ter acesso aos meios de comunicação, é preciso que ele saiba como utilizá-los, de forma crítica e não passiva. Do contrário, a lista de exemplos nos quais a interferência de veículos de comunicação foi determinante para favorecer ou atacar um alvo, trazendo graves consequências, continuará crescendo.

“Vamos juntos todos e todas, blogueiros, ativistas midiáticos, e todas as entidades que defendem uma Comunicação Democrática e inclusiva. A Plenária do FNDC será nos dias 03, 04 e 05 de março em SP.”

Edmirson Medeiros (Greg)
FNDC e CUT-BR

Em outras épocas, o discurso perpassou, majoritariamente, pela necessidade de garantir que não só as grandes empresas pudessem financiar suas redes televisivas, de rádios e jornais. Agora, com a revolução da instantaneidade na comunicação temos muito mais para debater: notícias falsas são disseminadas rapidamente, o fato concreto perde força em relação ao fato que se quer contar (e acreditar), os indivíduos ficam presos em bolhas geradas por algoritmos que selecionam com excelência o que se alinha ao perfil de cada um. Cria-se, então, um terreno onde se colhe a mais profunda divisão entre setores da sociedade incapazes de suportar-se uns aos outros.

Há muito tempo atrás, quando foi criado, em 1990, o FNDC já mostrava compreender justamente esse papel social da comunicação e propôs que a “democracia no Brasil não pode existir sem a efetiva democratização dos meios de comunicação”, tese que apenas se confirma no decorrer dos anos. E pela qual tem lutado, seja por meio de políticas cobradas aos governantes, seja pela mobilização da sociedade – desde 1990, quando a entidade surgiu. A premissa se mostra cada vez mais atual. A pauta é urgente.

Mesmo com uma inegável mudança no horizonte, será preciso muito esforço para poder demolir espaços que ficaram restritos ao alcance do poder econômico de uma casta e construir, em seu lugar, vozes dos mais diversos setores, de diferentes realidades e perspectivas – e apesar disso, com o mesmo direito de falar e de se ouvir. Espaços como esses não deixaram de existir, mas tornaram-se cada vez mais ameaçados e silenciados. Edmirson Medeiros (Greg), membro da executiva nacional do FNDC e dirigente da CUT/Nacional, destaca que ao dar-se como superado um período de forte repressão, de “destruição do Estado Democrático de Direito, com o sucateamento da máquina pública, ataques à liberdade de expressão e uma política de Estado que estimulava o discurso de ódio e discriminação”, é preciso unir-se na defesa da conquista dessa democratização.

Plenária do Nordeste

A plenária de preparação da Regional Nordeste aconteceu, no formato virtual, neste sábado (21). Contou com a presença de representações das entidades associadas ao Fórum para discutir pontos organizativos da plenária,o balanço de conjuntura e a tese política da entidade.

Apesar de ver com positividade a mudança da linha política no Governo Federal, a entidade tem suas ressalvas em relação às decisões tomadas para o Ministério da Comunicação. A decisão de nomear o partido União Brasil não agradou e gerou preocupações, prevendo posturas não adequadas ao debate e ações esperadas.

A crítica é necessária, é claro. Há uma longa lista de demandas a ser defendida, nem tudo se acertará de imediato. Entre elas, como observado na reunião, a retomada dos meios de comunicação das universidade potiguares.

Para ficar por dentro das próximas atividades, conferir as teses e documentos, ou até mesmo conhecer mais dessa importante entidade, você pode acessar seu site, aqui.


Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *