Racismo e violência são pautados pela primeira vez pela Confederação Brasileira de Futebol

Após o crescimento das discussões de raça e para combater o crime de racismo no esporte, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) tomou parte e instituiu a criação de uma comissão para analisar essa polêmica, além de violência no futebol. O Grupo de Trabalho (GT) é formado por 46 membros, que representam mais de 30 entidades, entre elas a Fifa, Conmebol, federações estaduais, clubes e o Ministério Público.

Tal iniciativa busca discutir os aspectos legais e operacionais relacionados ao aprimoramento do marco regulatório, das políticas públicas e dos procedimentos desportivos com o compromisso a favor da vida e do futebol brasileiro. A entidade já vem promovendo campanhas, como a “Por um futebol e uma sociedade antirracista”, com a realização de um seminário sobre o tema na sede do órgão, no Rio de Janeiro, em agosto.

Há até algum tempo atrás, os ataques raciais não recebiam muito mais do que lamentos dos locutores esportivos. É bom ver que a entidade máxima do futebol brasileiro vem procurando dar respostas ao problema.