Radhika Desai vê desdolarização como inevitável

A professora canadense Radhika Desai, do Departamento de Estudos Políticos e diretora do Grupo de Pesquisa em Economia Geopolítica da Universidade de Manitoba, afirmou em artigo publicado na RT que o processo de desdolarização está em curso e que “não é difícil encontrar sinais disso”.

Ela destacou o surgimento de alternativas ao dólar, citando como exemplo as negociações em moedas que não sejam o dólar entre os maiores compradores e vendedores no comércio de petróleo, como Moscou, Riad, Pequim e Nova Deli. Desai afirmou que desde 1971, o papel do dólar no mundo foi baseado na ideia de que “o sistema financeiro do dólar era o mais sofisticado do mundo”, mas que, na verdade, não conseguia oferecer “investimentos produtivos benéficos”.

Em vez disso, o sistema “liberou torrentes de dinheiro quente de longo prazo que beneficiaram principalmente apenas os investidores especulativos ocidentais, ao mesmo tempo que causaram estragos nas economias do resto do mundo”.

Como resultado, a economia produtiva dos EUA ficou sem investimentos de longo prazo, o que impedirá “o fluxo de dólares para o sistema do dólar americano”. Enquanto isso, a economia da China está se tornando mais atraente para os investidores, devido a uma economia produtiva e empresas produtivas que pagam dividendos constantes.