Radicalismo e irresponsabilidade: sindicalistas tentam invadir casa do prefeito de São Gonçalo

Militantes sindicais da educação, ligados ao PSTU, tentaram na manhã de hoje invadir a casa onde residem os familiares do prefeito de São Gonçalo do Amarante, Eraldo Paiva. O Blog do Girotto confirmou as informações com pessoas próximas ao prefeito. A atitude já seria irresponsável em tempos normais, que se pode dizer, então, num momento…

Fotos: mídias sociais

Militantes sindicais da educação, ligados ao PSTU, tentaram na manhã de hoje invadir a casa onde residem os familiares do prefeito de São Gonçalo do Amarante, Eraldo Paiva.

O Blog do Girotto confirmou as informações com pessoas próximas ao prefeito.

A atitude já seria irresponsável em tempos normais, que se pode dizer, então, num momento como o atual, em que as instituições democráticas são alvo de sistemáticos ataques coordenados e financiados por várias fontes?

Respeitamos o direito ao protesto. E o local de trabalho do prefeito é a Prefeitura. Que sigam pra lá, se houver necessidade.

Mas parece que estamos diante de um fato que extrapola a simples tolice e irresponsabilidade políticas.

Há setores, na direita e na esquerda, que se alimentam do ódio e da violência política. Seus discursos ganham eco quando as rivalidades ultrapassam os limites da disputa democrática.

Esses extremos manipulam suas bases psicologicamente frágeis, buscando sempre mantê-los em pé de guerra com algum inimigo mortal, mesmo que precisem inventar o inimigo.

O que vimos hoje em São Gonçalo é um perfeito exemplo daquilo que podemos chamar de bolsonarismo de esquerda. Muda a cor da bandeira mas persistem os métodos e objetivos.

E não se enganem, esses setores não têm qualquer compromisso com a democracia, a justiça social ou bem-estar da maioria. Seu único propósito é alimentar o discurso de ódio que realimenta suas fileiras de fanáticos.

O que fizeram hoje em São Gonçalo é preocupante, quer sejamos de esquerda, direita ou como prefiramos nos definir. Basta ser um democrata para perceber o risco contido na conivência com essas práticas.


Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *