Raimundo Alves nega que pretenda indicação ao TCE-RN

Em informação exclusiva da coluna de Dani Freire (leia aqui), o secretário da Casa Civil do governo Fátima, Raimundo Alves (PT), negou que haja intenção de indicá-lo ao Tribunal de Contas do Estado do RN. O TCE terá duas vagas abertas em 2024, em razão das aposentadorias compulsórias da conselheira Adélia Sales, que deixará a…

Em informação exclusiva da coluna de Dani Freire (leia aqui), o secretário da Casa Civil do governo Fátima, Raimundo Alves (PT), negou que haja intenção de indicá-lo ao Tribunal de Contas do Estado do RN.

O TCE terá duas vagas abertas em 2024, em razão das aposentadorias compulsórias da conselheira Adélia Sales, que deixará a corte em março, e do conselheiro Tarcísio Costa, que sairá em maio. Uma das vagas é de livre indicação; a outra delas deve ser ocupada por profissional de carreira.

Como o Blog do Girotto afirmou anteriormente e sustenta, há sim conversas avançadas pela indicação de Raimundo para a vaga de livre indicação, que também é desejada por deputados estaduais aliados do governo.

À medida que as eleições municipais se aproximam, a política potiguar também se agita com as indicações para as duas vagas que serão abertas no Tribunal de Contas do Estado (TCE-RN). Nos bastidores, alianças e compromissos já estão sendo negociados visando garantir as indicações desejadas.

O governo de Fátima Bezerra definiu sua estratégia para assegurar a indicação do atual chefe do Gabinete Civil, Raimundo Alves, para o TCE-RN. Seguindo o exemplo do Governo Federal, a intenção é negociar em bloco todas as indicações para o tribunal e outros órgãos, buscando reunir uma maioria favorável na Assembleia Legislativa para aprovar a nomeação de Raimundo.

A estratégia adotada pelo governo estadual é semelhante à que está sendo usada pelo ex-presidente Lula para garantir a indicação de Cristiano Zanin ao Supremo Tribunal Federal (STF). Essa negociação vem demorando, mantendo vaga a cadeira que foi ocupada pelo ministro Ricardo Lewandowski, recentemente aposentado.

Raimundo Alves é – a nosso ver – merecedor dessa indicação. O trabalho que desempenhou como operador da estratégia de Fátima Bezerra para desmobilizar a oposição em 2022 foi de uma lealdade digna de nota. Ele foi responsável por neutralizar as dissidências internas do PT e garantir as indicações de Walter Alves e Carlos Eduardo. A governadora reafirmo, é a política mais competente do estado, e Raimundo mostrou-se à altura de suas expectativas. Portanto, sua nomeação para o TCE seria uma recompensa justa.

Mas há também outros movimentos com os quais o governo terá que lidar para garantir seus interesses. Um dos possíveis nomes também cogitados para a indicação é o do deputado estadual Hermano Morais, filiado ao PV e eleito pela federação PT/PV/PCdoB. Houve especulações sobre a antecipação da aposentadoria do conselheiro Tarcísio Costa para 2023, o que permitiria a posse de Vivaldo Costa, irmão de Tarcísio e primeiro suplente da chapa da federação, na Assembleia Legislativa. No entanto, o acordo não avançou devido ao interesse em garantir a aprovação do secretário Raimundo Alves.

O cargo de conselheiro do TCE-RN é muito cobiçado, pois é vitalício e proporciona um salário atual de R$ 35.462,22. Não faltam interessados em se livrar dos desafios das eleições e garantir uma vida confortável em um órgão prestigiado e influente que oferece excelentes condições de trabalho.


Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *