RN fora: conheça o perfil do novo Conselho de Desenvolvimento Econômico Social Sustentável de Lula

Com maioria de homens, sudestinos e executivos, o chamado Conselhão tem perfil diferente dos demais órgãos consultivos criados por Lula em seu 3º mandato.

O RN mostra sua carência de lideranças intelectuais e empresariais ficando de fora do conselho.

A história completa

O Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social Sustentável, conhecido como Conselhão, foi recriado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em março deste ano, como um espaço de diálogo entre o governo e a sociedade. O Conselhão tem a função de assessorar o presidente na formulação de políticas e diretrizes destinadas ao desenvolvimento econômico social sustentável, além de apreciar propostas de políticas públicas e articular as relações do governo federal com os representantes da sociedade civil. O Conselhão é composto por 246 integrantes, com diferentes origens profissionais.

Entre os integrantes do Conselhão, os executivos são a categoria com maior participação, com 66 membros, representando cerca de 27% do total. Em segundo lugar, estão aqueles que exercem cargos em institutos e associações, com 52 pessoas. As mulheres representam apenas 40% do Conselhão, o que, segundo o Poder360, evidencia a continuidade do discurso da lacração do presidente Lula.

A maioria dos integrantes do Conselhão é do Estado de São Paulo, com 59% do total, seguido pelo Distrito Federal e Rio de Janeiro, com 34 e 22 representantes, respectivamente. Das 26 unidades federativas, 18 terão representantes no Conselhão. A região Sudeste é aquela com o maior número de representantes, seguida pelo Centro-Oeste, Nordeste e Sul, e a região Norte é a que tem menos representantes no conselho, com apenas 11.

O Conselhão é composto por 15 categorias, incluindo políticos, advogados, médicos, professores, economistas, pesquisadores, executivos, empresários, integrantes de movimentos sindicais e sociais, pessoas que atuam em cargos em institutos e associações e aquelas que atuam em confederações ou federações, assistentes sociais, aqueles que trabalham com o setor cultural e influenciadores digitais.

A recriação do Conselhão representa um espaço importante para o diálogo entre o governo e a sociedade, além de ser um espaço para a formulação de políticas públicas e diretrizes destinadas ao desenvolvimento econômico e social sustentável.