Servidor do Estado é intimidado com “conselhos” sobre risco de processo disciplinar por agentes do governo Fátima

Prejudicando os servidores públicos do RN desde agosto do ano passado, o uso irregular do dinheiro dos consignados vem causando sérios transtornos e prejuízos para os trabalhadores.

Não bastasse toda a complicação gerada pela prática do governo, membros da administração estadual têm agido para constranger aqueles servidores que resolveram reclamar publicamente da situação.

Esse é o caso de um funcionário efetivo que chegou a ser chamado na unidade à qual é vinculado para receber “conselhos” sobre sua conduta.

A conduta do servidor se resumia a postagens em suas redes particulares nas quais denunciava que seu empréstimo consignado estava sendo descontado duas vezes. Em contato com o banco no qual recebe o salário, o servidor foi informado que o governo não repassava os valores que eram descontados no seu contracheque. Por isso, o empréstimo era debitado da conta salário. Ou seja, o trabalhador pagava duas vezes pelo seu consignado, não dispondo do seu salário integralmente.

Na conversa de “aconselhamento”, o servidor foi orientado a parar com as postagens. Alegaram que na condição de servidor público ele não poderia “atacar” a gestão.

Tivemos acessos aos posts do servidor. Não havia qualquer ataque, apenas o registro dos acontecimentos e dos prejuízos que ele teve.

Para completar o tom do “aconselhamento”, lhe foram mostrados os prints de suas postagens que já haviam guardado. Ele lembrado que poderia sofrer um processo administrativo disciplinar (PAD).

O servidor não quis se identificar. Vem sofrendo com ansiedade crônica e teve de ser afastado das atividades profissionais. Desistiu de se posicionar publicamente sobre quaisquer questões que envolvam o governo. Acredita que só assim terá condições de recuperar sua saúde, se calando.