Sucessão de Biden gera temores no establishment democrata

Os democratas (Dems) saíram com uma moderada vitória das eleições de meio de mandato do ano passado, que via de regra costumam custar caro ao governismo. O tão aguardado triunfo do GOP (partido republicano) não ocorreu, frustrando os planos oposicionista. A ufania criada na reta final da campanha de uma forte vitória republicana é fruto…

Os democratas (Dems) saíram com uma moderada vitória das eleições de meio de mandato do ano passado, que via de regra costumam custar caro ao governismo. O tão aguardado triunfo do GOP (partido republicano) não ocorreu, frustrando os planos oposicionista.

A ufania criada na reta final da campanha de uma forte vitória republicana é fruto do ânimo do partido, já que analistas e pesquisadores eleitorais desde meados de 2022 encontravam sentimentos confusos entre os eleitores sobre darem maioria aos republicanos nos governos estaduais e federal.

Os Dems perderam o controle da Câmara Federal, mas a exígua maioria republicana poderia apontar que Biden se beneficiaria em votações em que ambas as partes não tivessem maiores discordâncias. Depois da estressante eleição, nas próprias fileiras republicanas, para escolher o deputado Kevin McCarthy como presidente da Casa Legislativa, tal perspectiva ficou menos turva no radar da Casa Branca.

A alta taxa de candidatos extremistas recrutados a dedo pelo trumpismo foi o principal fator a dar uma 2ª metade de mandato menos turbulenta a Biden, com o Senado continuando sob controle democrata. E nem mesmo a recente desfiliação da senadora Kyrsten Sinema da legenda causa dores de cabeça aos Dems, já que ela será uma independente pertencente a bancada do partido.

O que preocupa o establishment é o horizonte próximo, 2024 terá eleição presidencial, e até agora o próprio Biden não bateu martelo se será candidato a reeleição. A disputa ao Senado também preocupa, vide que a legenda terá que defender 2/3 dos assentos em disputa, uma dezena em estados competitivos e republicanos.

Sem uma mudança na taxa de aprovação do governo Biden, que na média de pesquisas do site Five Thirty Eight (https://projects.fivethirtyeight.com/biden-approval-rating/?ex_cid=rrpromo) está negativa desde agosto de 2021, a continuação dos democratas na Casa Branca será uma tarefa difícil para os estrategistas da agremiação.

A virada num cenário favorável ao partido passa pela economia, mas com projeções apontando um 2023 e 2024 com baixo crescimento econômico, alta nas taxas de juros, inflação e desemprego em patamares indesejáveis, a sucessão em 2024 pode ser uma das mais acirradas na história política moderna do país.


Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *