Trabalhadores dos Correios chegam a acordo para data-base 2023/2024

Trabalhadores e empresa chegaram a acordo para 2023-2024; federação da categoria comemora conquistas.

Após diversas rodadas de negociação, trabalhadores e direção dos Correios chegaram ao acordo, encerrando as negociações para a convenção coletiva referente aos anos de 2023/2024. O acerto, com 78 cláusulas, traz mudanças substanciais no cenário salarial e de benefícios para os trabalhadores da empresa estatal.

Para aqueles que ganham até R$ 7 mil, a notícia mais significativa é um aumento salarial de R$ 250, que entrará em vigor a partir de janeiro de 2024. Esse reajuste beneficiará 83% dos 71 mil funcionários dos Correios.

Além disso, os funcionários com remunerações superiores a R$ 7 mil também receberão um reajuste de 3,53% a partir do mesmo período.

O acordo não se limita aos. Os benefícios serão imediatamente reajustados em 3,53%, e os trabalhadores também receberão um tíquete extra de R$ 1.000 em dinheiro após a assinatura do acordo. Em janeiro de 2024, uma gratificação extra de R$ 1.500 será concedida.

Outro ponto do acordo é a criação de uma comissão, com a participação das entidades representativas dos trabalhadores, que avaliará melhorias no plano de saúde e garantirá o pagamento de 80% das bolsas de estudo.

No que diz respeito à abertura de concursos públicos, os Correios declararam que estão planejando se reunir com o Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos para discutir o tópico.

A empresa também se comprometeu a priorizar a paridade de gênero e raça ao conceder bolsas de estudo, incentivando os funcionários de nível médio a cursar uma graduação.

Outras cláusulas incluem licença paternidade de 20 dias, pagamento de tíquete pelo período de 90 dias para trabalhadores considerados inaptos pelo INSS, manutenção do tíquete até o retorno em caso de acidente de trabalho, abono de 6 dias para acompanhante, licença remunerada de 10 dias para situações de violência doméstica e afastamento especial em caso de nascimento de filho ou filha prematura. Além disso, o horário especial de amamentação foi ampliado de 12 para 18 meses.

A Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios (Findect) elogiou o acordo como uma retomada de direitos retirados nos últimos anos. Eles expressaram seu compromisso contínuo em lutar por um ambiente laboral justo e pela valorização do papel essencial dos trabalhadores dos Correios na sociedade.


Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *