Crônica: Use drogas, temos amostras grátis

Parece, mas não é mentira de 1º de Abril. Clicando aqui, você poderá tomar gratuitamente uma dose de chá de cogumelos – droga que dizem ser muito potente e louca. A novidade – não tão nova assim – é oferecida pela empresa norte americana I-Doser. Trata-se de sons ou músicas – como queiram – que…

Parece, mas não é mentira de 1º de Abril. Clicando aqui, você poderá tomar gratuitamente uma dose de chá de cogumelos – droga que dizem ser muito potente e louca. A novidade – não tão nova assim – é oferecida pela empresa norte americana I-Doser. Trata-se de sons ou músicas – como queiram – que reproduzem os efeitos de diversas drogas no organismo humano. Assim você pode cheirar uma carreira de coca no conforto de seu PC, dentro da lei e supostamente sem riscos, basta uns fones de ouvido.

A empresa promete que você terá uma sensação muito próxima da que se tem consumindo as drogas reais. As músicas são simulações de cocaína, maconha, chá de cogumelos e algumas outras coisinhas do capeta. Suas ondas sonoras induzem o cérebro à sensações que vão do relaxamento à euforia. Ao menos é isso que prometem e é por isso que cobram. Grátis só mesmo o chá de cogumelos. Caso você queira se chapar com alguma outra substância auditiva, terá que desembolsar – no caso, creditar – em média US$ 15 por uma única dose descartável – é, você escuta a droga uma só vez e o arquivo se desfaz. Depois, só comprando outra dose, mano!

O amigo que vos fala testou a dose gratuita de chá de cogumelos. E… Nada! Nem dor de cabeça. A música é realmente uma droga, mas não me causou nenhum efeito físico além do esperado aborrecimento pela perda de tempo. Mas falei com pessoas que garantiram ter sentido desde de dormência até reações alucinógenas. Sendo verdade, só lamento. Não prestei pra sociólogo nem me interessei por outras drogas mais leves e agora descubro que nem pra chapado virtual eu sirvo. Papai do Céu e Tio Bob devem estar decepcionados.

A empresa garante que seu produto cumpre o prometido, mesmo admitindo que os efeitos variam a depender do usuário, podendo ser mais forte ou fraco. Você, se tiver interesse e disposição poderá fazer seu próprio teste e nos informar dos resultados. Eu continuo sem conseguir ficar doidão, completamente dependente de uma droga mais nociva: a realidade. Se alguém descobrir o macete, nos envie. Por enquanto, as única drogas que tenho escutado são o noticiário da Globo, a nova MPB e 99% da programação musical brasileira. Da experiência da I-Doser, devíamos absorver a ideia de “criptografar” as músicas, evitando que um playboy sexualmente mal resolvido nos obrigue a ouvir o mesmos pagodes idiotas durante toda a noite. Seria realmente uma boa, DVD’s de Ana Carolina e Calcinha Preta descartáveis, igual a papel higiênico. Eis uma forma eficiente de combater o uso abusivo de drogas.


Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *