Vem aí um acordo para manter o antigo ‘orçamento secreto’, hoje ‘emendas de relator’

Nos novos tempos inaugurados com a vitória de Lula em 30 de outubro ambiguidades são, e terão de ser, presenças constantes. Não há no Brasil uma maioria política e social que permita a qualquer dos campos na disputa implementar suas políticas sem concessões, grandes e contraditórias concessões. Uma delas, que já está madura, a manutenção…

Foto: EBC

Nos novos tempos inaugurados com a vitória de Lula em 30 de outubro ambiguidades são, e terão de ser, presenças constantes.

Não há no Brasil uma maioria política e social que permita a qualquer dos campos na disputa implementar suas políticas sem concessões, grandes e contraditórias concessões.

Uma delas, que já está madura, a manutenção do ‘orçamento secreto’. Para aprovar a PEC da transição (que libera os recursos para o Bolsa Família e outros investimentos), é quase certo que Lula terá de compôr com o centrão e se comprometer o ‘orçamento secreto’.

Aliás, não é mais ‘orçamento secreto’. A forma politicamente correta voltou a ser a original ‘emenda de relator’. Política exige mesmo maleabilidade.


Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *