Verdade revelada: Pablo Neruda morreu envenenado

Ficamos todos estarrecidos, na última segunda-feira, 13,com a divulgação pela família do genial poeta chileno Pablo Neruda dos resultados da investigação sobre a causa da morte do autor de Cantos Cerimoniais. Ordenada há 10 anos pela Justiça chilena, a exumação dos restos mortais de Neruda indicou que o escritor foi envenenado. O poeta, que era…

Ficamos todos estarrecidos, na última segunda-feira, 13,com a divulgação pela família do genial poeta chileno Pablo Neruda dos resultados da investigação sobre a causa da morte do autor de Cantos Cerimoniais.

Ordenada há 10 anos pela Justiça chilena, a exumação dos restos mortais de Neruda indicou que o escritor foi envenenado. O poeta, que era próximo do presidente Salvador Allende, morreu em 23 de setembro de 1973, 12 dias após o golpe militar que derrubou o governo Allende e instaurou a ditadura de Augusto Pinochet. A versão oficial até então era que Neruda teria morrido de câncer de próstata.

De acordo com Rodolfo Reyes, sobrinho do poeta, a análise dos restos mortais indicou uma grande quantidade da bactéria Clostridium botulinum no organismo de Neruda, o que sugere envenenamento. Além disso, Reyes afirmou ter encontrado a bala que matou o escritor dentro de seu corpo, e disse que a família descobrirá em breve quem a disparou.

A exumação dos restos mortais foi ordenada depois que o motorista de Neruda, Manuel Araya, contou ter atendido uma ligação do poeta, que disse ter recebido uma injeção enquanto dormia. Amostras dos restos mortais foram enviadas para análise em 4 países, e em 2015 o Ministério do Interior do Chile afirmou ser “altamente provável” o envolvimento de terceiros na morte do escritor.

Em 2017, uma equipe de 16 especialistas afirmou ter 100% de certeza de que Neruda não morreu por complicações do câncer. Segundo a advogada da família, Elizabeth Flores, no momento da morte, “Neruda não estava gravemente doente, ele só tinha câncer. Ele andava com dificuldade, tinha dores, mas não estava à beira da morte”.


Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *